História de Giruá

  • Publicado em: 09/09/2013 às 23:58   |   Imprimir

Em 1682, a administração espanhola ordenou que os jesuítas atravessassem novamente o rio Uruguai para fundar novas reduções no noroeste do atual Estado do Rio Grande do Sul, pois as 18 reduções fundadas anteriormente haviam sido destruídas pelos bandeirantes brasileiros e exploradores portugueses. Os jesuítas começaram a voltar às suas antigas terras e em 1687 foi fundado o primeiro dos Sete Povos das Missões: São Francisco de Borja, seguido por São Miguel Arcanjo, São Nicolau, São Luiz Gonzaga, São Lourenço Mártir, São João Batista e Santo Ângelo Custódio.

O território de Giruá pertenceu à redução de Santo Ângelo Custódio. Ele era habitado, inicialmente, por índios guaranis e possuía uma vegetação muito peculiar do Rio Grande do Sul: as matas de butiazeiros. O butiá (butiá jataí | Butia yatay) é uma pequena fruta amarela de cachos dourados e que os indígenas chamavam de J"erivá. Daí vem o primeiro nome do município.
A colonização de Giruá iniciou em meados de 1800, com a chegada de imigrantes europeus ao Rio Grande do Sul, vindos, principalmente, da Alemanha, Suécia, Letônia, Polônia, Rússia, Suíça e Itália. Como eles encontraram dificuldade em pronunciar J"erivá, acabaram pronunciando Giruá, nome que se mantém até hoje.

Após a criação do município de Rio Pardo, em 1809, Giruá passou a integrá-lo. Anos depois, fez parte de Cachoeira do Sul (a partir de 1819) e Cruz Alta (a partir de 1834). Em 1873, com a emancipação de Santo Ângelo, todo o território de Giruá passou a fazer parte do mesmo e, em 1927, tornou-se o 11.° Distrito de Santo Ângelo, com o nome de Passo das Pedras, em razão do rio de pedras que dava acesso à localidade. Mais tarde, seu nome foi substituído por Giruá, através da Lei n.° 29 de 26 de junho de 1928. Neste mesmo ano, Giruá teve inaugurada sua estrada de ferro, o que é lembrado como o marco de desenvolvimento no município.

Em 1931, com a emancipação do município vizinho de Santa Rosa, que veio a resultar na alteração da divisão do território de Santo Ângelo, Giruá passou a constituir o 5.° Distrito de Santa Rosa.

Impulsionado pelo progresso e anseio de desenvolvimento e emancipação, em 1953 um grupo liderado por Aládio Ferreira reuniu-se para tomar a frente da atitude que iria mudar o futuro de Giruá. A emancipação político-administrativa tornou-se realidade em 28 de janeiro de 1955, tendo sido eleito como Prefeito Athaíde Pacheco Martins e como Vice-Prefeito Haroldo Kegler, assim como os primeiros Vereadores que constituíram a Câmara Municipal de Vereadores. A histórica solenidade de posse ocorreu em 31 de dezembro de 1955.

Elevado à categoria de município, pela Lei Estadual n.º 2.601, de 28-01-1955, desmembrado dos municípios de Santo Ângelo e Santa Rosa, Giruá . Sede no antigo distrito de Giruá. Constituído de 3 distritos: Giruá, Salgado Filho e Ubiretama, os dois últimos desmembrados de Santa Rosa. Instalado em 01-01-1956.

FORMAÇÃO ADMINISTRATIVA

Elevado à categoria de município com a denominação de Giruá, pela Lei Estadual n.º 2.601, de 28-01-1955, desmembrado dos municípios de Santo Ângelo e Santa Rosa. Sede no antigo distrito de Giruá. Constituído de 3 distritos: Giruá, Salgado Filho e Ubiretama, os dois últimos desmembrados de Santa Rosa. Instalado em 01-01-1956.